Procurando uma aventura? Ligue ou mande um WhatsApp!

Entrar em contato!

(42) 9 9166-6149

Patagônia Argentina: lugares incríveis para o seu roteiro!

Patagônia Argentina: lugares incríveis para o seu roteiro!

2040 1352 Cooptur Trips

A Argentina tem muito mais a oferecer do ponto de vista turístico do que a maior parte dos brasileiros imagina. Saindo do roteiro mais tradicional que tem Buenos Aires como base, hoje vamos mostrar a você as belezas da Patagônia Argentina. Essa é a região mais ao sul do país, com uma área de mais de 900 quilômetros quadrados onde se localizam cidades como Bariloche, por exemplo. Perfeita para quem quer se aventurar pela nação vizinha de uma forma diferente e saindo dos clichês!

Hoje apresentamos os lugares que você precisa conhecer na Patagônia Argentina para lhe ajudar a montar o melhor roteiro. Confira!

Bariloche

Qual é a primeira coisa que lhe vem à mente quando você pensa na cidade de Bariloche? Arriscamos dizer que é a neve e a prática de esportes de inverno, como esqui e snowboard. Isso é bem comum, os brasileiros associam o local às baixas temperaturas dos meses mais frios do ano e a tudo o que esse cenário coberto de neve proporciona. Embora a ideia não esteja errada, você descobrirá que é possível aproveitar esse destino muito melhor.

Pode ser no inverno, verão ou em qualquer outra época, garantimos que o viajante irá se deparar com uma Bariloche de paisagens naturais encantadoras, formadas por lagos coloridos e montanhas cobertas de árvores. Tudo isso regado por uma boa gastronomia. 

Circuito Chico

O Circuito Chico é um dos passeios mais famosos de Bariloche e o visitante pode percorrê-lo por conta própria ou com as vans locais que fazem o trajeto. Se você passar vários dias por lá, a nossa dica é já reservar o primeiro dia para fazer esse circuito, porque ele oferece um panorama da cidade. Assim, você pode observar quais pontos lhe chamam mais atenção e voltar para visitar com mais calma, se desejar.

O percurso completo tem pouco mais de 65 Km, partindo do Centro Cívico. A primeira parada é no Cerro Campanário, uma região bem elevada e com vários mirantes que oferecem uma vista privilegiada de toda a cidade e alguns municípios vizinhos. Existem duas formas de subir até o pico do cerro: pelo teleférico ou por uma trilha de cerca de meia hora. Independentemente da sua escolha, saiba que a vista fará valer a subida.

Em seguida, o Circuito Chico passa pelo Puerto Pañuelo e ali existem duas opções de passeio. A primeira delas contempla o Bosque Arrayanes, parada obrigatória para quem cresceu assistindo aos desenhos da Disney, já que foi a grande inspiração de Walt Disney para criar Bambi! A Ilha Victoria também faz parte desse primeiro passeio, é a maior da região e se destaca pela diversidade de espécies de plantas. A segunda alternativa de passeio pelo Puerto Pañuelo segue pela Catarata dos Cântaros, com suas belas cachoeiras.

Nesse circuito, você ainda pode conhecer o Hotel Llao Llao, famoso por ser um dos resorts mais luxuosos do mundo todo, além da Capela de San Eduardo, construída na década de 40 e a Colonia Suiza, uma província na região do Lago Moreno repleta de casas bem rústicas de estilo europeu e opções gastronômicas imperdíveis.

árvores no bosque de arrayanes na patagônia argentina

Bosque Arrayanes – Puerto Pañuelo

Lago Nahuel Huapi

Quem fizer o Circuito Chico conhecerá o lago, já que o Cerro Campanário fica justamente na sua margem. Vale a pena dar uma atenção especial a essa beleza natural, um lago de águas bem azuis aos pés da Cordilheira dos Andes. Se for no inverno, a cor irá contrastar com o branco da neve, criando uma cena incrível que pede para ser fotografada! Nas estações mais quentes, o azul do lago se combina com o verde da vegetação, deixando a paisagem mais viva. 

Para além do lago, você poderá observar uma bela cadeia montanhosa, que em boa parte do ano, tem seus picos cobertos de neve. A forma perfeita de emoldurar essa visão espetacular!

Cerro Catedral

Esse ponto turístico é obrigatório para quem for a Bariloche no inverno. O motivo é muito simples, trata-se do principal espaço de esqui da cidade, com dezenas de pistas que atendem desde as pessoas que querem experimentar o esporte pela primeira vez, até quem já está em um nível mais avançado.

Mesmo que você não queira esquiar, o passeio continua valendo muito a pena. Se desejar, você pode apenas subir até o alto da montanha com ajuda dos teleféricos para admirar a vista de lá de cima. Além disso, também pode fazer compras nas lojinhas ou conhecer os restaurantes deliciosos da estação de esqui. 

Cerro Otto

Nesse local o grande barato também é a vista de Bariloche de cima do cerro, mas o diferencial é que aqui você pode observar enquanto aprecia um delicioso café na Confeitaria Giratória! É isso mesmo que parece: uma confeitaria que enquanto serve opções de doces, salgados e cafés muito saborosos fica girando e, assim, proporcionando diferentes ângulos para os admiradores da paisagem.

Museu do Chocolate

Uma das marcas registradas de Bariloche é a produção e venda de chocolates deliciosos, com várias opções de marcas. Por isso, além de comprar alguns docinhos nas lojas do centro da cidade, também vale a pena conhecer esse museu, que pertence à fábrica Havanna (que certamente você já conhece!). Durante o passeio, o visitante aprende mais sobre a história do chocolate e conhece melhor o processo de fabricação dos produtos da marca. Por meio de uma visita guiada, é possível compreender como essa iguaria ganhou o status de um dos alimentos mais consumidos do mundo todo.

Além de todos esses passeios, também vale a pena reservar uma tarde para andar pelo centro de Bariloche e conhecer os prédios históricos, as lojinhas, bares e restaurantes. O Centro Cívico, além de contar a história da cidade, rende ótimas fotos! E a vantagem é que toda essa região central pode ser conhecida a pé.

Museu do Chocolate em Bariloche

Museu do Chocolate em Bariloche

Para quem ficou morrendo de vontade de conhecer a cidade, o roteiro da Cooptur Trips que vai percorrer a Patagônia Argentina no inverno de 2019 reserva um dia para um passeio em Bariloche.

ESTÁ CURTINDO? VAMOS PARA PATAGÔNIA COM A GENTE!


San Martin de Los Andes

Um pequeno vilarejo na Patagônia Argentina, considerado um dos locais mais belos dessa região. O motivo para isso pode ser os lagos azuis, as montanhas que contornam a cidadezinha ou as casas construídas de madeira e pedra. Provavelmente, é o conjunto de tudo isso!

O Parque Nacional Lanín é um dos atrativos dessa vila que, com certeza, merece uma visita. Foi criado em 1937, com o objetivo de manter a preservação dos lagos glaciais, florestas e picos vulcânicos, portanto, o turista pode apreciar o melhor da natureza da Patagônia Argentina. O bosque de araucárias e o vulcão Lanín estão entre os destaques do parque.

O centro de San Martin tem uma praça com feira de artesanato, para quem quer levar uma lembrança típica dessa charmosa cidade para casa, além da pequena igreja de San José, restaurantes, cafés e sorveterias.

O Lago Lácar também atrai muitos turistas e além de ser naturalmente belo com águas cristalinas e contornado por montanhas intensamente arborizados, ele tem uma praia extensa e um píer, que fazem o passeio ser ainda melhor aproveitado.

Por falar em lagos, conheça a seguir uma rota extensa que parte de San Martin e percorre vários deles.

Ruta de Los Siete Lagos

Outro ponto imperdível da Patagônia Argentina, que inclusive passa bem perto de Bariloche, é a Ruta de Los Siete Lagos. São mais de 100 Km de extensão que podem ser percorridos em apenas um dia e, apesar do nome, o percurso na verdade passa por 11 lagos, partindo de San Martin de Los Andes. O Lago Lácar é o primeiro dessa rota.

Em seguida, é a vez de apreciar o Lago Machónico, propício para a prática de esportes náuticos em suas águas azuis escuras, como caiaque ou canoagem. O Lago Hermoso é o próximo e seu charme está no bosque andino que o rodeia e onde o turista pode caminhar. No Lago Villarino há uma grande quantidade de trutas e, desde que tenha autorização, é possível praticar pesca esportiva.

O próximo lago é o Falkner, que conta com pousada e camping, caso você não queira concluir o percurso em um único dia. O Lago Escondido é o menor desse roteiro e tem um formato arredondado rodeado pela vegetação nativa. Ao chegar no Lago de Traful, se tiver tempo aproveite para visitar a pequena vila de mesmo nome, com apenas 80 casas, todas de construção com estilo andino e cerca de 400 habitantes.

A rota segue pelo Lago Correntoso, o Rio Ruca Malén, Lago Espejo Chico, Lago Espejo Grande e Nahuel Huapi.

O roteiro termina na Villa La Angostura, localizada às margens do último lago. É considerada uma das mais bonitas da Patagônia Argentina. Durante o breve passeio pelo vilarejo, você se depara com condomínios de luxo e hotéis de alto padrão, prontos para receberem seus hóspedes com um bom Champagne. Há quem diga que é uma versão menos badalada de Bariloche.

A Villa também tem estações de esqui, sendo a de Cerro Bayo uma das mais famosas. Outro atrativo é o Parque Nacional Los Arrayanes, com belas árvores de casca alaranjada. A pequena cidade se destaca pelos restaurantes de alta gastronomia, então se você aprecia a combinação de um bom vinho com fondue, certamente vai sair satisfeito.

Lago Lacar - Ruta dos Siete Lagos

Lago Lacar – Ruta de Los Siete Lagos

O melhor da vida animal

A Patagônia Argentina também é um promissor observatório da vida animal. A Península Valdés, por exemplo, tem quase 4 mil quilômetros quadrados e chama a atenção do mundo todo pela diversidade da sua fauna. As lhamas selvagens dividem espaço com os leões-marinhos, elefantes-marinhos e até as baleias-francas em seu período de reprodução.

Na Península Valdés, fica Punta Tombo, praticamente um santuário de reprodução dos pinguins! De setembro até abril é o período de reprodução dos pinguins-de-magalhães. Estima-se que cerca de 400 mil casais da espécie migrem da costa do Rio de Janeiro até essa região da Patagônia, à procura de tranquilidade!

O ponto de partida do passeio em Punta Tombo é um museu muito interessante que explica mais detalhes sobre a fauna da península. Em seguida, os turistas percorrem trilhas bem sinalizadas em passarelas com mirantes que possibilitam uma visão privilegiada do mar.

Glaciar Perito Moreno

Esse é um dos cartões postais da Patagônia Argentina, localizado no Parque Nacional Los Glaciares. É uma grande e espessa massa de gelo com nada menos do que 5 km de largura e 60 metros de altura, que ao contrário de outros glaciares, continua aumentando de tamanho com o passar do tempo. É a terceira maior reserva de água doce do mundo.

Para conhecer o glaciar, uma das opções é o mini trekking, uma caminhada conduzida em cima dele, que é bem leve e por isso pode ser feita por pessoas de todas as idades e condicionamentos físicos. Outra opção é o passeio de Catamarã, percurso de cerca de 1 hora em um barco pelo rio que margeia o glaciar. Também é possível contemplar esse belo monumento natural pelas passarelas, sem precisar andar de barco e nem colocar o pé na neve.

O Glaciar Perito Moreno fica a cerca de 80 quilômetros da cidade de El Calafate. Durante os meses de inverno, alguns dos passeios ficam bloqueados.

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Ushuaia

Se você visitar a Patagônia Argentina, vale a pena conhecer a cidade de Ushuaia, com apenas 50 mil habitantes. Não se assuste, mas lá é o fim do mundo! A região é banhada pelo Canal do Beagle e de lá é possível observar o Porto de Ushuaia, onde fica a famosa placa do fim do mundo.

A cidade fica entre o mar e a Cordilheira dos Andes e isso resulta em uma paisagem interessante que mescla o relevo acidentado e montanhoso com o azul do mar. No Canal citado acima, é possível ver as várias espécies de animais que moram por ali, como os grandes leões-marinhos que habitam as ilhas. Aliás, o turista pode conhecer algumas dessas ilhas, como a dos Pássaros e dos Lobos Marinhos, por exemplo. Não deixe de navegar pelo canal se tiver oportunidade.

Outro passeio que compensa muito é a Laguna Esmeralda, que se sobressai no meio de tantos lagos que compõem a Terra do Fogo graças à sua coloração esverdeada. É preciso fazer uma trilha para chegar lá, mas a bela paisagem e o cenário bucólico fazem a dificuldade de acesso valer a pena.

O Parque Nacional da Terra do Fogo fica a pouco mais de 10 Km do centro da cidade. Ele conserva 63 mil hectares de área verde, é cheio de lagos e bosques, perfeito para quem quer passar um dia em contato direto com a natureza.

Villa Pehuenia

No meio de cadeias montanhosas, florestas e às margens do lago Aluminé, surge a Villa Pehuenia, o destino perfeito para quem viaja com a família e para todos que buscam unir a natureza selvagem a uma boa dose de tranquilidade. Por lá vivem pouco mais de 400 pessoas que sobrevivem da pecuária, ovinocultura e do turismo.

Entre tudo que os turistas podem fazer na Villa, está a prática de esportes náuticos, como rafting e passeio de caiaque; cavalgada; escalada; trekking e até excursões de caça.

Para quem viaja no inverno, o Parque de Neve Batea Mahuida é um atrativo imperdível para esquiar, andar de trenó e fazer passeios de motoneve.

Apesar de pequena, a cidade tem uma boa infraestrutura turística, até porque, nasceu como uma estratégia de planejamento do Estado Provincial para ter maior controle sobre esse território.

Batea Mahuida na Villa Pehuenia

Batea Mahuida na Villa Pehuenia

El Chalten

Vamos finalizar a nossa viagem pela Patagônia Argentina recomendando a cidade de El Chalten. Nesse pequeno povoado rodeado por montanhas andinas, os visitantes podem conhecer o maior glaciar da Argentina (embora menos conhecido do que o Perito Moreno): o Viedma, com uma superfície de quase mil quilômetros quadrados.

Para os viajantes mais aventureiros, recomendados percorrer 9 Km de trilha para chegar até a Laguna Torre, passando por grandes campos, mirantes e bosques. Uma das montanhas que podem ser observadas durante o trajeto é a Cerro Torre, com mais de 3 mil metros de altitude!

Já para os que preferem um passeio que exija menos condicionamento físico, os mirantes de Los Conderes e Las Águilas são perfeitos, porque exigem poucas horas de caminhada e fazem parte da mesma trilha. Além de apreciar uma vista cinematográfica, esses dois pontos são um excelente observatório do condor e águia, duas espécies de aves tradicionais da Patagônia. O condor, inclusive, está entre as maiores aves do mundo.

Se você gosta muito de trekking, pode fazer o Circuito Huemul, um dos mais famosos da Patagônia. No total, são quatro dias de percurso passando por grandes e impressionantes campos de gelo, bosques e montanhas. É um trajeto que exige certo preparo físico, perfeito para quem quer mergulhar em uma região mais selvagem.

Se você acabou de anotar a Patagônia Argentina em sua lista de lugares para conhecer, pode aproveitar o roteiro de outono da Cooptur Trips. Uma ótima ideia para conhecer de perto as belezas ímpares da região sem encarar temperaturas tão baixas. Que tal?

FALE COM A GENTE E ARRUME SUAS MALAS!

Cooptur Trips

Cooptur Trips

Cooptur Trips é a divisão especializada em roteiros de lazer da Cooptur – Cooperativa Paranaense de Turismo, criada para oferecer aos clientes experiências diferenciadas em roteiros exclusivos.

Todos os posts por : Cooptur Trips